Domingo, 4 de Março de 2007

No Comments - Denbac Art Deco Vase

Photo © A. Hoffmann

[after Tamara de Lempicka, Self-Portrait (Tamara in the Green Bugatti), 1925.]

 

Art Deco Denbac Stoneware Vase, France, 1920s.

publicado por blogdaruanove às 18:23
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 3 de Março de 2007

No Comments - Denbac Art Deco Vase

Photo © A. Hoffmann

 

Art Deco Denbac Stoneware Vase, France, 1920s.

publicado por blogdaruanove às 15:07
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Oásis

Photo © roddh

 

   Um oásis? Não. O paraíso...

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 23:59
link do post | comentar | favorito
|

Uluru

Photo © kburki

 

   Lentamente, a sombra das tamareiras crescendo para si. Criando pequenas linhas que se iam movendo e alongando pela areia. Os sons... Os sons... Os insectos, as cabras, os dromedários. Menta... Cheirava a menta! Por cima da pequena fogueira, vapores quase transparentes cresciam para o céu. Azul. Sem nuvens. O azul do céu. E o verde... O verde das pequenas folhas, dos arbustos, das árvores. E os sons, novamente os sons. Pessoas. Sons que saíam das suas bocas, por entre sorrisos...

 

 

© Blog da Rua Nove

  

  

tags:
publicado por blogdaruanove às 23:52
link do post | comentar | favorito
|

A Rosa do Deserto

Photo © katpix

 

   Luz. Apenas luz. Uma única imagem, sem quaisquer recortes. Um clarão de luz. Doloroso e ensurdecedor. Um fio de água a escorrer-lhe pela comissura dos lábios. Uma carícia húmida que lhe sulcava o pescoço e o peito. E os dedos, aqueles dedos suaves a tocarem-lhe o rosto. Uns dedos longos e frescos. Quase intangíveis, quase de sonho...

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 20:11
link do post | comentar | favorito
|

Martha's Vineyard

http://www.flickr.com/photos/gertmueller/

Photo © cornsilk

 

    Os cabelos longos, soltos e sedosos. Finos. Quase orientais. Emaranhados nos pêlos da sua barba por fazer. Um aroma de mulher. O Cântico dos Cânticos. "Diz-me onde levas as tuas ovelhas a pastar, ó meu amor..." Um sorriso de olhos fechados. "Levanta-te, anda, vem daí, ó meu lírio dos vales..." A boca de lábios entreabertos, lânguidos. Sem saberem beijar.

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 16:15
link do post | comentar | favorito
|

Deserto

Photo © solilos

 

   Memórias, inúmeras, balançando. Para a frente e para trás. ("Vou dar uma volta..." "Uma volta? Por onde?") Por dentro. Volteava tudo, por dentro. Um turbilhão de volteios. Interiores. Uma língua ansiando por água... (...e obtendo apenas um beijo. Um beijo?) Dedos dos pés profundamente enraizados na areia. Braços estendidos, para lado nenhum. A mente repleta de pesadelos. Descoloridos.

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 02:13
link do post | comentar | favorito
|

Desert

Photo © solilos

 

    Countless memories rocking. Back and fort. ("Going for a spin..." "A spin? Where?") Inside. Everything was spinning inside. A turmoil of inner spins. A tongue longing for water... (...and getting just a kiss. A kiss?) Toes deeply rooted in the sand. Arms stretched towards nowhere. The mind full of colourless nightmares.

 

© Blog da Rua Nove

publicado por blogdaruanove às 00:12
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 1 de Março de 2007

Tatooine

Photo © evil

 

   O espaço entre o deserto e o oásis. Esse era o oásis. Tâmaras no chão, rumor de água. A memória da areia que se esvaía entre os dedos, as mãos quase inertes. O calor insuportável marcando a respiração. As memórias das centenas de descrições do deserto como se fossem apenas isso mesmo. Nada mais existia. Ficção.

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 23:37
link do post | comentar | favorito
|

Tataouine

Photo © Viva NOLA

 

   O ar entrava-lhe profundamente pelas narinas dilatadas. Quente. Muito quente. E seco. Os lábios cerrados havia horas. Habituara-se a preservar a humidade da boca. As areias quietas, agora. Um dos seus companheiros, o impaciente inglês, soltara gritos descontrolados, inumanos, logo após o fim da tempestade. Correra centenas de metros pelo desfiladeiro fora, sozinho, de braços abertos, libertando aqueles estranhos uivos. Um aeroplano entre as dunas.

 

© Blog da Rua Nove

tags:
publicado por blogdaruanove às 20:52
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. Old Chap

. Le Sacré du Printemps

. Word of Mouth

. Still Skating Around...

. Volare...

. Ouranos

. Staccato

. E Va...

. E La Nave Va...

. The End

.arquivos

. Fevereiro 2012

. Fevereiro 2011

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Junho 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Junho 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.Visitas

blogs SAPO

.subscrever feeds