Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Rua Nove

Blog da Rua Nove

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
31
Jan08

Aspectos do Vidro em Portugal no Século XX

blogdaruanove

Jarra em vidro branco transparente, moldado, com aplicação de partículas de vidro verde na superfície exterior e dourado.  Peça provavelmente produzida na Marinha Grande. Década de 1940 ou 1950.

 

   A fase final do período Art Déco na indústria vidreira nacional caracterizou-se pela utilização acentuada de uma inovadora técnica decorativa – a aplicação, no exterior das peças, de particulas coloridas de vidro que se fundiam com o vidro branco transparente moldado e conferiam à superfície dos objectos uma textura rugosa mas suave ao tacto.

   Como é óbvio, esta técnica conferia às peças não apenas uma decoração em relevo com cintilações particulamente contrastantes entre a superfíe inferior do branco transparente e o exterior colorido, mas também uma característica particularmente atraente devida ao jogo de luz e sombra assim obtido.

 

   

Jarra em vidro branco transparente, moldado, com o exterior tratado quimicamente (flashed glass, em Inglês) de modo a obter o efeito alaranjado e irisado popularmente conhecido como "casca de cebola" e posterior aplicação de partículas de vidro vermelho na superfície (à esquerda). Jarrinha em vidro branco transparente, moldado, com aplicação de partículas de vidro rosa na superfície exterior e dourado. Peças provavelmente produzidas na Marinha Grande. Década de 1940 ou 1950.

 

   Esta decoração era habitualmente aplicada sobre o vidro branco transparente, mas surgia também, em menor escala, aplicada sobre vidro com acabamento "casca de cebola". As partículas coloridas eram essencialmente amarelas, rosadas, vermelhas e verdes, encontrando-se ainda superficies acabadas a azul ou a preto.

   Na maioria dos casos, a decoração destas peças era também complementada com pormenores a ouro, normalmente filamentos ou faixas de espessura variável, que acentuavam a forma do objecto e os jogos de luz e sombra.

 

Copo em vidro branco transparente, moldado, com aplicação de partículas de vidro amarelo na superfície exterior e dourado.  Peça provavelmente produzida na Marinha Grande. Década de 1950 ou 1960.

 

© Blog da Rua Nove

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D