Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Rua Nove

Blog da Rua Nove

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
28
Mai07

Rafael Bordalo Pinheiro

blogdaruanove

 

   Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905) promoveu a publicação de diversos jornais satíricos em Portugal e no Brasil (1875-1879). Em Portugal, os mais famosos foram O Antonio Maria (1879-1885; 1891-1898), Pontos nos ii (1885-1891) e A Parodia (1900-1906), este último já com preponderante colaboração de seu filho, Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (1867-1920).

   O Antonio Maria deve a sua designação ao nome próprio do célebre político António Maria Fontes Pereira de Melo (1819-1887; primeiro-ministro, 1871-1877, 1878-1879 e 1881-1886), figura insistentemente criticada e caricaturada por Bordalo, como se observa, por exemplo, no primeiro número de Pontos nos ii (http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/68568.html), onde Fontes Pereira de Melo surge como "immortal" e novamente, mais abaixo, na mesa de trabalho do "incorregivel" Bordalo.

 

 

   A figura da viúva do António, a Maria, que abre o número programa de Pontos nos ii (http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/68329.html), já tinha surgido anteriormente em O Antonio Maria e tornou-se posteriormente numa das célebres figuras reproduzidas em cerâmica por Bordalo Pinheiro, na sua fábrica das Caldas da Rainha.

   A crítica política era actual e impiedosa, como se pode verificar na contundente referência à questão colonial de Lourenço Marques e Moçambique (http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/69043.html), a qual se vinha arrastando desde a década de 1870. Eventualmente, esta crise transformar-se-ia numa das razões, indirecta mas não menor, para o Ultimatum inglês de 1890, apesar do anterior acordo, estabelecido e arbitrado em 1875 pelo presidente francês Mac Mahon (1808-1893), sobre esta questão, que os ingleses designaram como De Lagoa Bay.

 

"Loïe Fuller deu-nos tambem nas suas maravilhosas danças, uma

 delicada alusão ao Convenio" (1902)

 

   Estas publicações de Bordalo Pinheiro reflectam, ainda, a realidade cultural de Lisboa e do país, com frequentes referências ao teatro e à ópera, nacional e internacional, às Belas-Artes, à literatura e a outras manifestações artísticas e intelectuais, pelo que o célebre Álbum das Glórias acabou por ser um corolário lógico das preocupações e dos interesses do autor. Artistas e actrizes consagradas, como a americana Loïe Fuller (1862-1928), acima, a japonesa Sada Yacco (1872?-1946) e a francesa Sarah Bernhardt (1844-1923), abaixo, foram frequentemente caricaturadas e referidas por Bordalo Pinheiro.

   Embora Bordalo Pinheiro tenha, desde sempre, congregado outros colaboradores nas suas  "folhas humorísticas", particularmente  no que diz respeito aos textos, o agravamento do seu estado de saúde levou a que, essencialmente a partir de A Parodia, seu filho Manuel Gustavo assumisse maior responsabilidade nos desenhos e caricaturas da publicação. Manuel Gustavo alargou, ainda mais, o espaço dedicado a novos colaboradores, como foi o caso de Celso Hermínio (1871-1904), autor de inúmeras primeiras páginas, desenhos e caricaturas, incluindo a de Sada Yacco (1902), abaixo reproduzida, e do menos conhecido Pedro Cid (http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/37011.html).

 

 

"Sarah Bernhardt cahindo em Lisboa como uma agulha num palheiro." (1882)

 

© Blog da Rua Nove            

                                                                       

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D