Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Rua Nove

Blog da Rua Nove

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
07
Nov07

Uma Leitura da Obra de Margarida Rebelo Pinto

blogdaruanove

 

 

    A contestação ao conteúdo, forma e valor literário da obra de Margarida Rebelo Pinto (n. 1965) atingiu o seu clímax em 2006 com a publicação de Couves & Alforrecas: Os Segredos da Escrita de Margarida Rebelo Pinto. Ostentando na contracapa o seguinte destaque – "Um aviso, desde logo: o texto que segue é embaraçoso para a escritora e penoso para os leitores em geral. Margarida Rebelo Pinto repete-se imoderadamente, copia frases de uns para outros livros, tem deslizes de ortografia e comete erros gramaticais.", este opúsculo de João Pedro George (n. 1972), com cerca de cinquenta páginas, analisa de forma demolidora a produção literária da autora, como o aviso deixa bem claro.

   Um "texto penoso" que merece ser lido por quem se interessa pelas idiossincracias da escrita de Margarida Rebelo Pinto e por algumas das opiniões, também peculiares, do autor. Até pelos seus deslizes... Através de uma nota, na página 17, João Pedro George garante-nos que, ao contrário do que muitas pessoas poderiam pensar, na frase "ela enroscada como um bicho-de-conta, eu a adormecê-la" encontramos uma metáfora e não uma comparação...

 

 

 © Blog da Rua Nove

07
Nov07

Autógrafos - Margarida Rebelo Pinto

blogdaruanove

  

 

Margarida Rebelo Pinto (n. 1965), Nazarenas e Matrioskas (2004).

 

 

 

Margarida Rebelo Pinto (n. 1965).

   Tendo iniciado a sua carreira com o romance Sei Lá (1999), Margarida Rebelo Pinto tem pontuado o seu percurso com múltiplos sucessos de vendas, através de uma literatura que se tem apresentado homogénea e coerente. Homogeneidade e coerência que têm suscitado comentários irónicos sobre a originalidade da sua escrita, comentários esses que sublinham ainda a redundância desta escrita e a tentação de um  discurso que tende ao autoplagiarismo.

   A autora, aliás, tem sublinhado em algumas das suas entrevistas a marginalização a que a sua obra tem sido sujeita pelo establishment da crítica literária, mas esse facto não deve fazer-nos esquecer que as suas obras continuam a apresentar uma tiragem média superior à maioria da ficção nacional.

   Aliás, romances como Não Há Coincidências (2000) e I'm in Love with a Pop Star (2003) continuarão certamente a ser leitura predilecta de adolescentes durante algum tempo mais, garantindo à autora o êxito de vendas que a crítica intelectual sempre tem ignorado.

   Do conjunto de pequenos textos reunidos sob o título Nazarenas e Matrioskas, transcrevem-se três parágrafos de "E de Repente":

 

   "Os amigos não se fazem, reconhecem-se, disse o poeta que escreveu e de repente, não mais que de repente... de repente, tudo pode acontecer, basta um instante, as pessoas cruzam-se por acaso para nunca mais se separarem, e é então que percebemos que nada é por acaso, que afinal estar naquele sítio àquela hora era apenas a forma de nos aproximarmos e ficarmos mais ricos, mais cheios, melhores.

   Tu já sabias que ia ser asssim, tens o olhar dos adivinhos e a intuição dos grandes sábios, mas eu não fazia ideia nenhuma e por isso vou saboreando o presente como este presente que a vida me deu, a tua amizade, o teu tempo, a tua atenção, a tua discrição, a tua lealdade, a tua estima e preocupação, o teu bem-querer, o teu conforto, pensando que a vida é grata e atenta e nos vai dando o que precisamos, basta estar atento aos sinais e saber segui-los com cuidado e humildade, aceitando os desvios e enfrentando os inevitáveis precipícios, descansando sempre que é preciso, sem nunca parar, sem nunca desistir, sem entregar as armas nem o coração.

   Daqui a dez ou vinte ou trinta anos, terás perdido o cheiro a leite da pele, eu terei rugas e uma cabeça coroada de cabelos brancos, mas quero que saibas que, quando não tiveres força para estar com mais ninguém, podes sempre vir ter comigo e descansar nas minhas histórias que te fazem rir e me fazem pensar que ainda tenho alguma graça, mesmo que o tempo me esbata os sonhos e me roube os ideais. E quero que venhas sempre, com esse olhar de gato e esse andar de menino, ensinar-me coisas novas e descobrir comigo livros, discos, filmes, frases, e viagens ao sul, saboreando o presente que a vida nos deu um ao outro quando nos cruzámos e decidimos que seria bom morar no coração um do outro!"

 

 

© Blog da Rua Nove

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D